O que ninguém te conta sobre os primeiros dias com o bebê em casa

Em 14/05/2019 , Comments

Quando estamos esperando bebê, vivemos momentos de sonhos...

O quartinho, o enxoval, as lembrancinhas, as sessões de fotos do barrigão. Ficamos imaginando como será a carinha o bebê, com quem será que ele vai se parecer?

E chega a hora de escolher a poltrona de amamentação, já imaginando os bons momentos que vamos passar ali, amamentando. Tudo isso vem envolvido por uma aura de amor e muito cuidado.

Porém, fora dos sonhos, na vida real, essa experiência nem sempre é como sonhamos. Aliás, as dificuldades podem começar a aparecer ainda na maternidade.

Já ouvi muitas mamães me dizendo, “Nossa, é difícil assim mesmo? Toda mãe passa por isso? Por que ninguém me disse antes.

O fato é que as pessoas até dizem sim, mas quando a gente está esperando bebê parece que o “estado de graça” é tão grande que a gente não tem ouvidos para ouvir!

Na minha primeira gravidez, estava dando uma volta na praça aqui da minha cidade, e já estava com um barrigão, quase na hora dele nascer, encontrei com uma amiga passeando com o bebê dela de 3 meses. E a primeira coisa que ela me disse foi que eu deveria aproveitar agora para dormir porque depois que o bebê nascesse eu iria ver o que é passar sono na vida, que parecia que ela estava vivendo sob tortura por não conseguir dormir. Eu não entendi nada. Achei toda aquela conversa um exagero e confesso que fui para a casa com raiva dela por estar descarregando em mim aquela energia negativa. Só fui entender o que ela estava me dizendo depois que nasceu o meu bebê.

❝ Querida leitora, se você está grávida, não importa o que eu disser aqui, você só vai entender mesmo depois que seu bebê nascer, fica tranquila! Um dia você lembrará que leu e algum lugar algo assim. E isso não é de todo ruim, não! Não adianta sofrer por antecipação. Acho que a natureza é sábia nesse sentido. E quando nasce um bebê também nasce uma nova mulher, mais forte e mais corajosa. Por isso, quando chegar a hora, você saberá o que fazer se estiver conectada, em sintonia com sua criança! Sobre essa conexão eu falo muito no meu livro Sintonia de Mãe da editora Luz da Serra.❞

 

 

• H2 Entendendo as dificuldades que podem aparecer

Começar a entender em que ponto você poderá ter dificuldade, pode facilitar sua vida nesse primeiro mês com o bebê em casa, porque dessa forma, quando chegar a hore de você vivenciar tudo isso, pelo menos já vai compreender que não é só com você, que a imensa maioria das recém-mamães passam por isso e que nesse exato momento, muitas mulheres estão passando por isso agora, no exato momento em que você lê essa matéria.

Desta forma você não é pega desprevenida. E terá mais calma para tomar decisões mais assertivas e ficar mais tranquila com as decisões já tomadas.

Vejo, muitas mães caírem no desespero cada vez que as coisas não aconteciam da forma que elas imaginavam e aí, pode ter certeza que a coisa desanda de vez! Acaba virando uma bola de neve e em algum momento você vai se sentir muito longe de viver seu sonho como mãe.

Essas coisas são importantes você saber, para começarmos essa nova jornada.

 

 

• H2 Amamentar não é tão simples

Apesar da amamentação ser um ato instintivo e natural, com tempo nós, mulheres fomos perdendo o jeito, pelo fato de que a cultura da mamadeira tenha sido introduzida tão fortemente em nossas vidas. Por isso, hoje em dia, temos que resgatar esse aprendizado. Ainda, infelizmente, recebemos muitas informações desencontradas, mesmo dos próprios profissionais da área da saúde e muitas vezes fica difícil a gente achar um caminho.

 

 

• H2 Receber visitas pode não ser tão divertido nesse momento

E está tudo bem!

Os primeiros dias com o bebê em casa são bem turbulentos. E você estará tão cansada que ficará difícil “fazer sala” para as visitas. Por mais que venham visitar você e seu bebê de bom grado, ficará difícil equilibrar tudo isso quando se está com déficit de sono e com o peito vazando de leite. O que mais queremos nessa fase é ficar quietinhas e descansar nos momentos em que a criança ainda deixa. Além disso, precisamos de paz para nos conectar com nosso bebê, começar conhece-lo e começarmos a entender suas reais necessidades. Por isso, com delicadeza, não existe em falar para as pessoas o que realmente você quer, estabelecer alguns dias e horários para as visitas e sempre que não estiver afim, seja sincera! Não tem nada de feio nisso! À prioridade agora é cuidar do seu bem-estar e do seu bebê!

 

 

 

•  H2 Bebês choram

E nem sempre choram porque estão sofrendo...

É a forma com que eles sabem de se expressar, de se comunicar com o mundo!

O choro de criança tem o poder de desconcertar qualquer adulto. Isso é proposital. A natureza é sábia, precisa garantir a sobrevivência da espécie. Por isso que o choro mexe tanto com a gente e nos impulsiona a tomarmos uma atitude para que ele se sesse. Por muitas vezes não haverá o que fazer. A não ser esperamos passar! Acolhimento e compaixão pelo bebê que acabou d chegar no mundo é necessário. E para isso precisamos exercitar a paciência. Respirando fundo e nos mantermos centradas que tudo vai passar. Nem sempre isso é fácil! Nem sempre isso será possível! Você vai “falhar”! Quando isso acontecer, convoque sua Rede de Apoio. 

 

Passa a “batata quente” para outra pessoa que está mais calma que você. Simples assim! Sem culpa!

E lembre-se, não precisamos ser perfeitas. Só precisamos fazer o nosso melhor! Curta esse momento tão especial da sua vida!!! De forma leve e com o coração aberto, porque muitas emoções virão!